International Vegetarian Union
Os animais e o porquê da sua importância
by Maxwell G.Lee
from IVU Newsletter, October 1995
Deutsch - English - Español - Français - Hrvatski - Português - Româna

É frequentemente defendida, especialmente por certos grupos religiosos, que os animais foram postos na Terra com o objetivo de serem utilizados ao bel prazer dos homens. Este ponto de vista ajuda a explicar a extensão do descaso, pelos seres humanos, do reino animal. Entre muitas pessoas a atitude para com os animais é similar a adotada perante aqueles considerados de menor valor. A escravidão, por longo tempo estabelecida e aceita como meio de tratar os outros em sociedades humanas, reflete uma atitude que é similar a adotada para com os animais por muitas pessoas na sociedade contemporânea. Respeito pela vida, é um slogan hoje muito usado, entretanto devemos refletir a respeito e sobre sua importância, sugerindo respeito, não somente por outros seres humanos mas também por todas as outras formas de vida tanto animal quanto vegetal. Todos têm seu lugar no mundo. Nós temos que nos alimentar de algo, e é frequentemente sugerido que nós devemos ir o quanto for possível até o máximo da cadeia alimentar para nos alimentar-mos. Os vegetarianos progrediram parte do caminho, enquanto os naturalistas e os que se alimentam somente de frutas, mais ainda. As três formas estão baseadas no respeito ŕ vida e de que os animais deveriam ser bem melhor tratados pelos seres humanos.

A crueldade é virtualmente endêmica na sociedade humana, e se fica estarrecido com a questão do porquê os seres humanos procuram e gostam dela. Merecem considerável atenção as crueldades praticadas nos assim chamados esportes. Entretanto, este artigo se atém principalmente a uma visão vegetariana. Alguns não consideram crueldade comer animais e dão a entender que eles são bem tratados enquanto estão vivos. Evidentemente, ficou patente que isto não corresponde ŕ verdade, com os métodos usados com o crescimento da pecuária industrial nota-se a falta de qualquer consideração pelo comportamento natural dos animais. Seja pela colocação de bezerros em cubículos, que impedem qualquer acesso as suas mães, aos campos verdes e ao céu aberto que são o seu habitat natural, ou a manutenção de galinhas em sistema intensivos que lhes negam a possibilidade de expandir suas asas ou de manter seus hábitos; todas estas e outras práticas estão baseadas na ausência de cuidados ou preocupações em relação aos animais.

Os argumentos em seu favor são econômicos embora aqueles que praticam tais crueldades argumentem que os próprios animais preferem ser tratados assim. Se essas práticas não são cruéis então o que elas são? A argumentação de alguns, de que os animais não saem dos lugares onde estão presos mesmo quando as portas estão abertas é inválida pois isso se deve mais ao condicionamento do que a livre escolha. Uma coisa é certa, os animais não tem tal opção. A moderna sociedade ocidental tem muito a haver com o estímulo da alimentação baseada na carne. Infelizmente, alguns países em desenvolvimento vêm tal prática como "ocidental" significando que ela é atraente! Eles dão pouca importância ao tratamento dispensado aos animais, aos efeitos na saúde na alimentação carnívora e ao meio ambiente. A pressão do crescimento populacional em muitos países em desenvolvimento, é um argumento mais do que suficiente para diminuir e abandonar a alimentação baseada na carne.

A produção animal em sistemas intensivos, concentra os resíduos dos produtos animais ao invés de distribuí-los sobre os campos como adubo para o futuro. O que era antes visto como desejável agora se torna um transtorno e um problema econômico. O armazenamento desse lixo é caro e o problema está intimamente relacionado com o aumento no consumo de carne. Fazendeiros costumam jogar esse lixo em leitos d'água, córregos e rios poluindo e destruindo os eco-sistemas que existem há muito tempo. Somando-se a isso, os métodos usados por essa intensiva fazenda industrial, se revertem na possibilidade de um aumento de transmissão de doenças, motivando o uso de antibióticos em grande escala, crescimento induzido e produtos similares. Naturalmente, esses resíduos se concentram na carne e causam doenças em seres humanos. Além do mais, algumas dessas impurezas acham um meio de se infiltrar no sistema de água e são levadas para o curso de água onde mais uma vez elas são bombeadas para o uso humano, e deve se levar em conta que a purificação da água não remove todos estes resíduos.

O aumento dos casos de câncer, doenças do coração, rim e doenças do fígado assim como diabetes e uma variedade de outras doenças, está relacionada ao aumento do consumo de carne. A pesquisa médica proporciona ampla evidência que uma dieta vegetariana é melhor para saúde e que a incidência de muitas doenças desagradáveis são menos comuns entre os vegetarianos. É bom fazer algo por razões morais mas melhor ainda quando se descobre que é bom para a saúde também!

O crescimento do vegetarianismo no mundo ocidental é testamento do desejo crescente entre as pessoas de ter um modo de vida mais humano, saudável levando em consideração o meio ambiente. Na América do Norte, América do Sul, Europa e Oceania, há um marcante e contínuo crescimento do vegetarianismo. Desde que ocorreram as mudanças políticas na Europa Oriental e Central, houve um aumento no interesse pelo vegetarianismo. O vegetarianismo e os movimentos em defesa dos animais foram se desenvolvendo e estão ganhando apoio crescente. Na Ásia, o estímulo governamental ao consumo da carne vem encontrando resistência dos grupos vegetarianos. Num país como Índia, com uma longa história de Ahimsa, respeito a vida e vegetarianismo, a batalha em prol do vegetarianismo está sendo executada por grupos em defesa da moral e grupos religiosos assim como ecologistas e médicos que apreciam os benefícios da dieta vegetariana. Na Grã Bretanha o rápido crescimento do vegetarianismo foi muito marcante nos últimos vinte anos de modo que agora os vegetarianos não são mais vistos como pessoas estranhas mas sim fazendo parte da corrente predominante. Refeições vegetarianas estão disponíveis em todas partes do país e os jovens estão começando a apreciar a comida vegetariana. Os supermercados exibem uma boa variedade de produtos vegetarianos ao alcance dos consumidores, facilitando as compras, e chamando a atenção de "comedores de carne" para a grande variedade de produtos saudáveis e humanamente éticos que os vegetarianos consomem. Linda McCartney, esposa do famoso Beatle, Paul McCartney (ambos recentemente tornaram-se Patronos da Sociedade Vegetariana do Reino Unido), produziu uma imitação de produtos animais incluindo tortas e salsichas que estão atraindo muitas pessoas que não se consideram vegetarianas. Tais acontecimentos estão sendo cada vez mais copiados em outros países.

A tecnologia moderna tem muita responsabilidade no que concerne ao tratamento dispensado aos animais. Recentemente, o desenvolvimento da biotecnologia e da engenharia genética levou a novos meios de usar animais com a finalidade de servir ao homem, e a moral parece ser pouco considerada quando se trata em usar espécies animais na engenharia genética, para possibilitar ainda mais a sua exploração pelos seres humanos. Se o homem tem direitos sobre os animais, igualmente pode ser argumentado que ele têm responsabilidades. Isto significa que eles precisam considerar o animal, seu bem estar e seu valor. Infelizmente, esta situação indica que estas questões são tratadas com pouca ou nenhuma atenção pela maioria das pessoas. As únicas preocupações estão na maximização do retorno econômico que os animais podem oferecer.

Freqüentemente se argumenta que, pelo fato dos animais serem de uma espécie diferente da nossa, não importa a maneira como nós os tratamos. Ë claro que, pessoas que manifestam tais pontos de vista também não estejam preocupadas como outras sociedades de seres humanos são tratadas. Muitos de nós podem ver uma relação entre os dois. Quem trata o próximo com respeito têm mais chances de respeitar outras espécies. Repetidamente ouvimos que as preocupações que temos para com os animais deveriam ser substituídas pelas preocupações em relação aos seres humanos. As pessoas interessadas nos direitos dos animais estão normalmente interessadas no sofrimento humano.

Sabemos que os animais sentem angústia, dor e sofrimento. Não podemos entender plenamente como eles pensam mas há ampla evidência que os animais têm as suas sociedades e seu modo de vida. Quem têm o direito de dizer que seus direitos são menores que os nossos? Muitos animais são menos inteligentes que o homem mas há uma variação considerável na inteligência humana. Ao se argumentar que a inteligência inferior de muitos animais nos daria o direito de tratá-los como bem entendermos, sem consideração, então também poderíamos tratar assim pessoas menos inteligentes. Na verdade, certas filosofias políticas, embora muito desacreditadas, já propuseram tais idéias.

Nós estamos neste planeta por um tempo finito e, a forma como interagimos com ele, e o usamos irá afetar gerações futuras, possivelmente até o final da sua existência na forma como o conhecemos. Pode se reivindicar que é do nosso interesse reduzir o sofrimento e o tratamento inadequado pelo qual animais e seres humanos passam, e caminhar para um mundo mais humano e em paz consigo mesmo. Supondo-se que esta é uma meta que a maioria das pessoas desejam, deveríamos então melhorar o tratamento que dispensamos tanto aos seres humanos como aos animais. As pessoas em geral desejam levar uma vida saudável, e o modo de vida defendido pelos vegetarianos aponta nesta direção, e ainda minimizando o sofrimento dos animais. A alimentação carnívora está baseada na hipocrisia. Usamos alguns animais como bichos estimação e os tratamos de uma maneira muito especial. Outros são freqüentemente vistos como pestes ou alimento consequentemente não recebem o cuidado e proteção dados aos bichos de estimação Vale a pena lembrar que em muitos países, se alguém tratar um bicho de estimação da mesma maneira que são tratados animais de corte ou produtores de leite ou de ovos ele estaria sujeito a ser processado. Muitos animais selvagens não recebem nenhuma proteção legal, estando assim a disposição de caçadores e de qualquer um que deseje procurá-los e tratá-los como bem entenderem.

Minha argumentação é de que nosso futuro está relacionado a maneira como tratamos as criaturas mais fracas. A crueldade e maldade não deveriam fazer parte de sociedade civilizada. Embora freqüentemente reivindicamos que somos civilizados, sou obrigado a discordar e afirmo que isto está bem longe da verdade. Atualmente consideramos a escravidão um horror e achamos muito difícil entender como tais práticas duraram tanto tempo, e que ainda existam em algumas partes do mundo. Assim como nós nos afastamos da escravidão humana, necessitamos dar o próximo passo, nos afastando da escravidão animal. Tanto por razões morais ou egoístas nossa meta deveria ser um mundo vegetariano sem a exploração e a crueldade contra seres humanos e animais. Se nós não nos importarmos agora, o futuro de todas criaturas continuará sendo negro.

Maxwell G.Lee

  • Animals - from the Articles Index

Contribuições ao Boletim da IVU (IVU News) são bem-vindas. O material publicado não necessariamente reflete a visão do editor ou a política da União Vegetariana Internacional.
| Artículos | Livros | FAQ | Guía Mundial | IVUMail | Miembros | Boletines | Famosos | Frases | Receitas | What's New | Eventos | Buscar |

IVU Index
Maintained by John Davis - webmaster@ivu.org
Português por Joseph Skilnik Josephs@nutecnet.com.br